Páginas

Subscribe Twitter

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Ode à minha mãe

No sábado de carnaval, uma menina que havia estudado comigo perdeu a vida em um acidente de carro. Eu não tinha contato com ela, mas saber dessa notícia mudou alguma coisa em mim: como pode alguém tão jovem, tão cheia de sonhos, deixar de existir assim de repente? Essa moça que se foi tinha o meu nome e a minha idade. Fiquei pensando em sua família e em tudo o que ela devia sonhar e planejar para sua vida. Acredito que, assim como eu, ela devia imaginar que morreria velhinha, ao lado de sua família querida. Assim como eu... Na verdade, podia ter sido eu...
Depois disso, passei os dias ao lado de tudo o que é mais importante pra mim: minha família. Passei o recesso de carnaval sossegada, com meus pais e meu namorido. Percebi que valorizar cada coisinha do dia-a-dia me faz entender o valor dessa vida. 
Não quero luxo, nem status, nem poder. Não quero o sapato mais caro, nem a roupa da moda, nem o carro mais potente... Não quero exibir os gadgets de última geração, nem viajar para os lugares mais badalados, nem comer nos restaurantes mais chiques... Não quero a cintura mais fina, nem o cargo mais alto, nem o namorado mais sarado. Só quero o café com bolo quentinho no final da tarde com minha mãe. Passear com ela pelo shopping, fazer compras e no final do dia, ouvi-la dizer que a melhor parte do passeio foi o cineminha com pipoca. Fazer caretas uma para a outra no espelho do cabeleireiro e terminar com uma piscadinha. Perder o sono de madrugada e perceber que ela também está acordada e passar o resto da noite às gargalhadas. Atender o telefone e ouvi-la dizer "filha, só liguei pra saber como você está". Quero apenas ter a certeza de que ela sabe que não está só. Quero vê-la envelhecer em paz, com todo o amor que há no mundo.  E quando nos separarmos, quero levar comigo a certeza de que não a decepcionei. De que vivi minha vida da melhor maneira que se pode viver: cultivando o amor e valorizando o que verdadeiramente importa. 


Vanny

14 comentários:

  1. que lindo! sou assim, penso assim e vivo assim, perdi minha mãe aos 3 anos hj tenho o que ha de melhor minha VÃE[vó + mãe] minha vida, meu ar....
    texto emocionante!

    Nana Pinho Em Cores

    Reciclar Moda do Bem

    @NanaEmCores

    bjO =**

    ResponderExcluir
  2. Somos tanto e tão pouco né! Já me deparei com a mesma situação e coloquei na balança o que vale a pena! A gente precisa ter sempre essa idéia do que é o mais importante e viver da melhor maneira possível!

    Bjs VAnnyyyyy! Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  3. Enfim, alguem que de valor as coisas simples da vida,realmente sabe VIVER. :3

    ResponderExcluir
  4. Emocionei... lagrimas me vieram aos olhos. Post tocante!
    =*
    http://nahlaurentino.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nossa, amiga! Que lindo. Super sou a favor de valorizar as coisas simples da vida. Muito bom ter mãe, ter namorido, ter família, ter amigos como você, ter amor.
    Amei essa parte em que vc fala: "E quando nos separarmos, quero levar comigo a certeza de que não a decepcionei." Sempre penso nisso quando penso na minha mãe. Quero ter sido o melhor filho do mundo!!! E o final, em que fala de cultivar o amor, nossa...fiquei com os olhinhos marejados.

    É isso aí. Por isso ter me tornado seu amigo faz tanto sentido pra mim. Fez toda a diferença. Thanx for existing...

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Nossa! Mto lindo esse post!

    Será que dá p/ querer as coisas simples e as complicadas tb? hahahahahahaha

    Parabéns, Vanny. Simply astounding!

    ;)

    ResponderExcluir
  7. me identifiquei. lindo...

    acredito no amor. call me retarded.

    love,

    ResponderExcluir
  8. Olá!!!!!!!!!!!!!!Tudo bom??
    Adorei esse cantinho!
    Me visite tbm, tenho blog e uma loja no elo7:

    noselinhas.blogspot.com
    elo7.com/noselinhas

    ResponderExcluir
  9. Vanny, no ano passado tb perdi um colega de escola de maneira muito triste e isso tb mudou quem eu sou hoje - de certa maneira, senti que me foi dada uma nova chance e tento desde então me prender ao que 'realmente importa'. claro que por vezes ainda me pego só reparando na lâmpada queimada do pisca-pisca, mas então me lembro das promessas que me fiz e volto a enxergar o que preciso. na próxima vez que minha visão nublar tenho certeza que suas lindas palavras me ajudarão ;) levo comigo sua linda ode :)

    ResponderExcluir
  10. Amiga,que lindo!Palavras tão lindas e sábias assim só poderiam vir de vc!
    Tbm acho q essas coisas "simples" são as q realmente importam em nossas vidas.
    Às vezes ainda nos pegamos fazendo o contrário,focando somente no ter e não no ser...mas vamos vivendo e aprendendo.
    Qdo minha mãe faleceu,eu me senti culpada por algumas coisas que disse e fiz e tbm por outras que não disse e não fiz...só que depois percebi que minha mãe tinha orgulho de mim e que me tornei a pessoa honesta e íntegra q sou hj por causa dela e de meu pai,e que algumas coisas q aconteceram no passado aconteceriam da msm forma,msm se eu tivesse feito algo diferente,eram inevitáveis.
    Creio que ela até hj tem orgulho de quem sou e quero tbm sentir o msm orgulho com relação aos meus filhos...já sinto né...rsrsrs
    Te adoro amiga.Fiquei muito emocionada.Bjsssss....

    ResponderExcluir
  11. Amiga Vanny

    É isso mesmo! Devemos valorizar as coisas mais "simples" que são na maioria das vezes as mais "importantes" também.

    Beijos!!!!

    www.belezapedagogica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. I did a translate of this post and found it to be very moving. I'm terribly sorry for the loss you have endured in this post. My deepest thoughts and prayers are with you.

    johnbmarine.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Que lindo Vanessa! Também sou assim com minha mamãe! Temos que fazer o que elas mais querem que façamos... amá-las!!! Minha mãe é tudo pra mim! bjus.

    ResponderExcluir
  14. Que lindo! Que sincero! Escreva mais, Vanny. É muito bom poder ler palavras do coração!! bjs

    ResponderExcluir

Comenta, menina!
;*