Páginas

Subscribe Twitter

domingo, 24 de junho de 2012

Cirurgia bariátrica: A decisão

Era uma vez uma menininha que nasceu com incríveis 4,800 kg. Ela era fofa e lindinha. Chamava atenção por onde quer que passasse e ouvia milhares de elogios e por ser tão fofinha. Todo mundo queria pegar no colo, apertar...

Fofolequinha aos 6 meses

Cresci assim, fofinha e bonitinha, sempre cercada de carinhos... Na rua, as pessoas, conhecidas ou não, sempre elogiavam, brincavam, apertavam... Eu me sentia A POPSTAR.

Dois aninhos de fofolequice

Meus pais, também acima do peso, sempre viveram uma vida sedentária e não foi difícil que eu tivesse o mesmo estilo de vida. Criança, no entanto, eu brincava, corria, andava de bicicleta, fazia educação física na escola... Eu era  a gordinha da turma, mas não sofria com isso.

Fofoleca aos sete anos
Quando cheguei à adolescência, muito incentivada por minha avó, comecei a fazer ginástica. Estiquei, perdi um pouco de peso... Continuava sendo a gordinha da turma, mas nada que me incomodasse. Tinha uma vida normal de adolescente: muitas amigas, umas paqueras, nenhuma dificuldade de encontrar roupas... Nessa época, eu vestia Cantão, Leeloo, Mercatto, Checklist, Animale - lojas em que não entro há muitos anos!



O tempo passou, e com ele, vieram os problemas: conflitos familiares, vestibular, o começo da vida adulta, trabalhar e estudar... Pouco tempo para 
cuidar de mim. Muito estresse, nenhuma atividade física, poucas horas de sono, refeições fora de casa, e pouco a pouco, muitos quilos a mais.
2003








2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
Obviamente, durante todo esse tempo houve muito efeito sanfona. Engordei,  fui à academia, fiz dieta, emagreci, engordei novamente... Já tomei anfepramona, sibutramina, remédios "naturais", fiz dietas diversas, fui a nutricionistas... No entanto, emagrecer nunca foi condição para ser feliz. Nunca me achei feia por ser gorda. Como disse, o "padrão" na minha casa era "ser gordinho" e foi assim que eu sempre me entendi: como gordinha. Eu sempre soube que precisava emagrecer porque me avisavam que eu teria problemas de saúde, mas nunca pensei em ter corpão ou pirei por ter engordado. Sempre lidei com isso "numa boa" e foi justamente por não ter me preocupado mais com isso que cheguei aos atuais 134,7 kg. E um alarme soou.
Na verdade, esse alarme tocou há dois anos, quando fui visitar um clínico geral na esperança de pegar um atestado para me matricular na academia. Eu pesava cerca de 120 kg e ele foi categórico: eu precisava fazer a cirurgia bariátrica. Fiquei no consultório desse médico por uma hora. Ele me alertava sobre os riscos de uma futura gestação com tamanho sobrepeso. Ele falava de pré-diabetes, hipertensão e todas as comorbidades da obesidade. Fiquei assustada e saí de lá muito confusa. Por sorte minha, meu namorido me acompanhava nessa consulta e ele ouviu tudo o que o médico falou. Ele foi contra a cirurgia de cara!
Insisti na academia, fui à nutricionista. Perdi peso. Durante cerca de seis meses perdi nove quilos e muuuuuitos centímetros abdominais. Cheguei aos 111 kg e  aos poucos, como sempre, fui desanimando. Não sei explicar esse processo do desânimo, mas quando a gente vê, comeu um monte de bobagem, está sem ânimo para frequentar a academia e vai recuperando o peso todo novamente. Eu me lembrei do Dr. Ary e seus conselhos e passei a pesquisar sobre o assunto na internet. Passei horas no YouTube, assistindo a vídeos de depoimentos de pessoas que perderam peso com a cirurgia. Assisti a muitas histórias de sucesso e procurei por informações que pudessem me esclarecer as dúvidas a respeito do "monstro" da cirurgia. Aprendi muito com os operados que conheci na rede. Percebi que a cirurgia não é o "jeito fácil" de emagrecer, que muita gente pensa que é. Pelo contrário! É uma medida extrema, que exige o máximo de disciplina, a tal da "força de vontade", determinação, comprometimento e consciência do grande passo que se está dando. 
Decidi pela cirurgia e fui atrás dela! Foi importante pra mim ter o namorido contra, ter pensado e pesquisado tanto. Esse tipo de decisão não se toma de uma hora pra outra. É preciso decidir por essa cirurgia com responsabilidade, afinal, esse é um compromisso que se firma consigo mesmo. 
Se você também é gordinho ou gordinha e está pensando em fazer essa cirurgia, procure um (ou mais) médico(s), leia a respeito, informe-se.  
Vou falar mais da cirurgia, da preparação, do pré e do pós operatório por aqui, OK?  Por enquanto, vou deixar duas dicas de blogs bacanas para te inspirar:

Escrevendo uma nova história - da Valquíria. Vale a pena ler esse blog todinho, do início ao fim (eu já fiz isso!). A Val conta toda a história de sua cirurgia e mostra o processo de emagrecimento do pós operatório. Muito bom!!

Pensando Magro - da Camilla. Esse blog é famoso, talvez você já o conheça. A Camys - como ela é conhecida - emagreceu com reeducação alimentar e exercícios. Ela dá dicas de receitas e tem vários textos inspiradores, como este

Boa leitura!

Beijos,
Vanny



21 comentários:

  1. É uma decisão corajosa. E olha, se eu não conhecesse uma pessoa que fez eu tb acharia que é a mais fácil das decisões. Parece que só há o risco cirúrgico msm, e que o pós operatório é como outro qualquer. Mas é beeem complicado, lembro deste menino, que na época trabalhava comigo, comer medidas mínimas de comida. Beber no copinho de café... era bem difícil.
    Mas ele ta mt bem hj :)
    E eu tô na sua torcida!
    Bjs fofolinda, fica com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Evelyn!! Sempre muito bom ouvir palavras de incentivo!
      Obrigada mesmo!
      Beijos
      :****

      Excluir
  2. Qualquer cirurgia tem seus riscos, mas apoio vc com minha torcida se vai resolver seus problemas, pela saude vale mta cisa, não tenho coragem e peso mais que vc, mesmo assim fui ao medico pra saber das possibilidades que foram descartadas, por diagnosticos e problemas na familia...Mas é isso desejo sucesso a vc !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nana! Desejo sucesso a você também! Saúde a todas nós!
      Beijos!

      Excluir
  3. Mo¢a se a cirurgia vai te trazer saude,nao pense duas vezes!fa¢a!!tb leio o blog da valquiria,se eu pudesse eu tb faria!!!eu sou gordinha sim,mas o meu cardiologista disse que eu nao preciso,fa¢o atividade fisica e desde 2009(minha ultima gravidez) toh no processo de reeduca¢ao alimentar,enxuguei 23 kg nesses anos,atualmente peso 83 kg,me livrei do efeito sanfona!Faltam 33kilos para eu atingir a minha meta,meu IMC ainda nao eh o ideal!Mas agora eu tenho saude e disposi¢ao pra cuidar e curtir meus filhos!!!for¢a amiga eu vou orar para que vc tome a decisao certa!!!BJUSSS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que legal!!! Parabéns pela conquista! 23 kg não se perde fácil! Tenho certeza que com os novos hábitos você também vai eliminar os 33 kg restantes. Obrigada pelo incentivo. Estou contando com essas orações!
      Beijos!

      Excluir
  4. Nossa Van, vc nasceu grandona, hein!
    POis é, ao longo da minha vida eu tb sofri com esse engorda, emagrece e na minha adolescência tb fiz como vc, cheguei a pesar 69 quilos. E sem perceber engordei td novamente ( e mais um pouco).
    Eu, particularmente não tenho coragem de encarar uma bariátrica, só encararia se me dissessem que não teria mais jeito de emagrecer por outros meios. Eu, Ana Luisa, prefiro a reeducação alimentar, e é o que tenho feito (tentado há 2 meses, desde que entrei para academia).
    Minha intenção não é ficar magra, mas sim ter um pouco mais de qualidade de vida, o que é mais importante.
    A cirurgia deve ser uma coisa decidia e feita com mta consciência e tendo sempre um médico a explicar os detalhes, assim como vc tem feito desde o ano passado. Pq, hj em dia, até mesmo pessoas que não necessitam (não digo que seja o seu caso), têm feito pelo simples modismo.

    Querida, se esse é o caminho que vc escolheu, que seja assim e que vc possa ter forças para superar todos os obstáculos! Tamos na torcida para que tudo ocorra perfeitamente bem!
    Bjks, excelente comecinho de semana! ")

    http://www.lumanzana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Lu! Fico feliz que você também esteja cuidando da saúde. Vc tem razão em escolher reeducação alimentar e exercícios físicos. Com ou sem cirurgia só se emagrece assim mesmo. Obrigada pelo incentivo, flor!
      Beijo

      Excluir
  5. Que lindo seu post!!

    Sabe que pode contar comigo pro que der e vier, né?

    Beijos, te amo demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que surpresa, amor!!!!
      Eu sei que posso contar com você, querido! Muito obrigada por tanto companheirismo!!!
      Te amo mais!!
      Beijo

      Excluir
  6. Oi, Vanny!
    Você tá certíssima, a cirurgia tem que ser algo bem pensado.
    Eu refleti muito, antes de fazer a minha. Não é fácil, o pós operatório exige alto graau de paciência, mas tá valendo a pena.
    Completei 1 mês de operada, no último dia 21. E estou me sentindo muito bem. Bem no corpo e na mente.
    Mas ainda tenho um longo caminho a percorrer.
    Boa sorte e bom caminho, doce fofoleca. Se Deus permitir, será um sucesso!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que linda, Monique!!! Obrigada!!
      Não me lembrava q vc também optou pela cirurgia. Saúde e sucesso pra vc!!
      Beijos

      Excluir
  7. Conheço esse historico de criança fofa a adolescente gordinha do grupo e coisas aprecidas, costumo dizer que quando todo mundo dizia que eu era gorda eu era apenas gordinha hoje comparando minhas fotos posso perceber que sou gorda agora,mas isso não chega a incomodar além dos limites normais do incomodo comum, no momento tenho 110kg, não penso em fazer a cirurgia sou contra sempre fui, acho extremo d+, porem já fui ignorante a ponto de negar apoio a quem entendia que a cirurgia seria o melhor pra si hoje mais madura posso perceber que existem enumeros motivos que levam as pessoas a optar pela cirurgia e seja la qual for merece respeito e apoio, torço que tudo de super certo pra você. um bjo grandão
    A Gorda Revolucionaria
    Troca-Troca Make’Up

    ResponderExcluir
  8. Vanessitchaaaa!!

    Muito feliz pela sua decisão! Adorei seu post e suas fotos! Lindas! Estarei sempre torcendo pra que dê tudo certo!

    Lov,
    Carol

    ResponderExcluir
  9. Oi Vanny, tô na torcida hein!!! Dia 10/07 irei na primeira consulta com a Drª Katia, no Méier, vamos ver o q ela vai dizer...tô muito ansiosa :)

    Sucesso

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sorte, flor! Foi ela que me deu o encaminhamento para eu fazer a perícia da Amil.
      Espero que dê tudo certo!
      Beijos!

      Excluir
    2. Sim, vc que me indicou por email! Já tô até levando os exames de sangue que meu cardiologista pediu....tô ansiosa rs.........bjs

      Excluir
  10. Acompanho seu blog a um tempo mas nunca comentei pq só agora criei o meu! E parabens pela decisão da cirurgia, tenho certeza que não foi fácil, afinal, uma cirurgia sempre traz riscos e etc mas se a gente pensar nisso não faz nada, né? E no fim vai valer a pena afinal ser saudavel e se sentir bem é o que importa! Boa sorte!

    http://oateliechique.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Sabe o q eu mais reparei? Q o olhar do Adilio de ternura continua o mesmo, em todas as fotos... dá p ver (sentir) o quanto ele te ama!

    Bjo, amiga

    ResponderExcluir
  12. Vanny,
    Seu post me emocionou!Pela sinceridade, pela simplicidade e pela coragem e pela determinação que você demonstra. É claro que beleza é um padrão cultural. Não é somente pela beleza externa que vale a pena fazer a cirurgia.Acho que isso conta sim, mas ainda mais importante é que a sua decisão mostra a sua beleza interna, a coragem de enfrentar desafios na busca de uma vida melhor, mais saudável. Vá em frente!! E conte com o meu incentivo!
    Tenho muita admiração por você!! bjs

    ResponderExcluir
  13. Vânia!
    Achei tão bacana esse seu post. Completo, importante, emotivo. Primeiro sua trajetória mega linda (amei as fotos fofolequíssimas de criança, adolescente e todas as outras de várias fases...ainda bem q pude estar de perto em várias....).
    Legal acompanhar sua mentalidade ao longo dos anos. Super responsável & sensível da sua parte perceber os riscos da cirurgia, se perceber como feliz, parar para pensar, analisar, estudar-(se).
    E por fim, acaba que esse post e todo o blog por extensão se torna um grande testemunho e incentivo àqueles que possam estar passando por uma trajetória parecida. Afinal, ninguém passa por uma cirurgia dessa magnitude sem antes & depois passar por uma revolução interna. Um manual super obrigatório.

    Adorei a história da Valquíria - como ela mudou!!! Fiquei logo pensando: 'Gente, como vai ficar a Vanessitcha?' Mais uma etapa em sua vida que faço questão de acompanhar bem de perto, amiga. Sempre aplaudindo de pé porque só assim faço jus. Conta comigo!

    Um beijo do seu fã confesso.

    ResponderExcluir

Comenta, menina!
;*